A saúde do Futebol depende dele se libertar da Rede Globo! O Futebol NÃO é vermelho e preto! A FlaPress existe! Sem ter quem
    acredite nela, a mentira não anda. Combata a FlaPress repassando a verdade que você já sabe para amigos NÃO flamenguistas.
Data da publicação: segunda-feira, 1 de outubro de 2012
Postado por Pedro dos Santos

Relaxou

Antes de mais nada, os meus parabéns à Massa Tricolor, que novamente lotou o estádio. Colocamos dentro do Monumental 45.762 pessoas. Com uma torcida fiel e fanática dessas, o time não podia ter feito o que fez ontem.

No começo do jogo, ficou evidente que quem jogava no time do Santos era o Neymar. Os outros assistiam, apenas. Mesmo assim, o Grêmio conseguiu impôr uma forte marcação (tanto os jogadores quanto a torcida) sobre o craque paulista, com destaque para o Pará, que não deixou o garoto se movimentar pelo lado esquerdo. Apesar do esforço e da qualidade do camisa 11 santista, só quem criou chances concretas no primeiro tempo foi o Grêmio. O único lance perigoso do Santos foi um venenoso chute de longe do Neymar, que mesmo assim não trouxe muitas complicações pro nosso goleiraço Marcelo. Já as chances do Grêmio, foram várias. Primeiro, um testaço do nosso centroavante Moreno, que explodiu no travessão do goleiro adversário. Um pouco depois, novamente pelo alto, Gilberto Silva cabeceou pro chão e o arqueiro santista fez uma bela defesa. Com uns vinte e poucos minutos, Souza deu um baita lançamento pro Moreno, mas o camisa 9 se enrolou na hora de chutar e colocou pra fora, o que não deixa de ter sido uma boa chance.

Até que, aos 33, Zé colocou a bola na cabeça do Werley, 4º artilheiro do Grêmio no ano, mesmo sendo zagueiro. Desviada fatal, encobrindo o Rafael. Finalmente, saiu nosso merecido golzinho.

Pai sabe das coisas, né? Impressionante. Eu tenho só 14 anos, ainda aprendo muito, mas muito mesmo. E ontem eu aprendi uma coisa bem importante vendo o jogo.

Quando o Neymar foi expulso por PISOTEAR o Pará (pudera, nosso lateral não deixou o playboyzinho em paz por um minuto hahaha), eu adorei. Comemorei. Falei: "Agora nem tem mais jogo. Acabou o time deles." Meu pai me repreendeu: "Eu já vi esse filme. O Grêmio vai parar de jogar bola e o Santos vai ligar o 220." Eu respondi que não, que aquilo era absurdo, que o Grêmio tava muito melhor e podia ficar sentado até o final que não ia dar nada.

Ele tava certo.

Depois da expulsão do Neymar, o Grêmio desligou-se totalmente da partida. Virou ritmo de treino. Primeira bola erguida na nossa área, pá, gol deles. Ainda tinha bastante tempo de jogo, mas ninguém mais tinha a ilusão da nossa vitória. O jogo acabou para o Grêmio ali. A pressão que se viu a seguir foi totalmente inconsequente, desorganizada, desesperada. Foi constrangedora a inversão dos pólos no jogo. O lado psicológico, todo nosso, passou pra eles. E ainda corremos o risco de tomar mais um, aos 49 do segundo.

Que sirva de lição. Não pode parar, não pode, não pode. Não existe mais jogo ganho no futebol.

Espero que o time aprenda com seus erros. E espero que o Luxa tenha dado uma mijada mítica nos caras depois do jogo.

Abraço a toda a Nação Tricolor.


Postada por Pedro dos Santos. Você pode receber as próximas postagens do Aqipossa assinando gratuitamente nossa NEWSLETTER.

Divulgue esse artigo