A saúde do Futebol depende dele se libertar da Rede Globo! O Futebol NÃO é vermelho e preto! A FlaPress existe! Sem ter quem
    acredite nela, a mentira não anda. Combata a FlaPress repassando a verdade que você já sabe para amigos NÃO flamenguistas.
Data da publicação: quarta-feira, 24 de julho de 2013
Postado por Aqipossa Informativo

Um bate papo com um bom flamenguista.

No dia 9 de Junho de 2013, na postagem de uma letra alternativa do Legião Urbana, Geração Coca-Cola, (Geração AQIPOSSA) o AQIPOSSA recebeu a visita de um flamenguista que foge às regras “mulambescas”: Educado, falando direito, sem agressões verbais, sabendo o que quer e respeitando este espaço. Dado à isso, o AQIPOSSA prometeu uma resposta na mesma linha. O tempo foi tomado por diversos outros afazeres que impossibilitaram a tal resposta, porém, chegou o dia.

O AQIPOSSA vai deixar em vermelho as palavras de nosso amigo flamenguista para que possamos entender melhor. Embora o post fique vermelho e preto, não creio que isso vá incomodar nossos habituais leitores, a quem peço, também respeitar nossa visita ilustre. Ilustre não por ser flamenguista, mas por não se comportar como um mulambo. Vamos à conversa: 

Caro autor do AQIpossa, Sou Flamenguista, e ao contrário de torcedores do Fla que vêm aqui querer debater e mudar o seu ponto de vista, não farei isso. Ninguém é obrigado a gostar do Flamengo. Mas lanço uma pergunta: 

Antes da pergunta do anônimo flamenguista, (o anonimato o aproxima perigosamente dos mulambos) devo ressaltar que os flamenguistas que aparecem neste espaço, 95% deles não querem debater. Querem sim, é impor qualquer outra infirmação ou afirmação sobre o clube em questão. O problema é que na maioria das vezes, essa imposição/informação nada tem a ver com o assunto do post onde eles deixam os comentários. Isso é intrigante, pois parece demonstrar que o que o AQIPOSSA falou, não foi considerado como mentira, mas sim, como um fato ao qual eles não se importaram justamente por não rebaterem e por mudarem de assunto tão fácil como somar 2+2, se bem que para alguns desses indesejados visitantes, para a tal soma seja necessário uma calculadora ou um tempinho para pensar. 

- Não seria possível utilizar seus argumentos contra o Flamengo sem ofensas pessoais aos torcedores do mesmo? Palavras como "mulambo", "analfabeto", "lixos", não ofendem a mídia, (que parece ser o alvo principal) nem aos jogadores e diretoria. Quando você utiliza dessas palavras, afeta tanto o trabalhador que acorda às 4h quanto o pior torcedor possível. 

Isso é deveras um fato, caso fosse o AQIP um blog voltado para agredir flamenguistas como um todo. Justamente por isso, os termos “mulambo” e “lixo”, por exemplo, são usados. O que chamamos de “mulambo” são os que são alienados e sobretudo cegos perante muitas coisas óbvias sobre o esgoto da Gávea, o Flamengo. Sabemos que é praticamente impossível que acreditem que o AQIPOSSA não tem raiva do Flamengo. Temos raiva da FlaPress que transforma um time tão comum e simples, num super ultra puta time, apenas para manter alienados seus torcedores. Como alguém poderia ter raiva de algo são insignificante, pois se lhes tiram as ajudas e proteções, é o que sobra de adjetivo ao time rubro negro?

O anônimo amigo entende que falar o que falamos da mídia, clube, diretoria e jogadores, nada tem a ver com falar mal da torcida. Uma das intenções nas palavras do AQIP é a de separar o “joio do trigo”, vamos dizer assim. Quem é, não se mistura. O comportamento mulambo os tornam mulambos. Não foi o caso com nosso visitante ilustre. Separado do joio, não misturado aos fedorentos visitantes que aqui vem, tem todo o direito de aparecer e comentar o que quiser.

Mas esse tratamento dado aos costumeiros flamenguistas alienados e cegos, tem outro motivo. O AQIPOSSA não foi criado como um blog anti-flamengo. Mas é o que a maioria dos visitantes espera de nós. Combatemos fortemente o anti-flamenguismo puro e simples. Gozar com as mazelas do clube vermelho e preto é tão legal quanto gozarem dos nossos próprios times. Faz parte da característica do torcedor comum, zoar seu rival. Que graça tem se depois não gostamos que zoem conosco? Como o AQIP não aceita falar mal de nenhum outro clube, principalmente os do Rio de Janeiro, não podemos compactuar de brincadeiras passageiras, como por exemplo, uma derrota de 4, uma de virada, ou uma eliminação para um time pequeno. São fatos relevantes, sim, mas passageiros. Mais pra frente, nossos próprios times passarão por isso também.

O AQIPOSSA trata essas coisas em determinados casos. Há aqui neste blog, jogos no passado que tratam justamente disso. Eliminações vergonhosas, derrotas para times pequenos, principalmente quando consideravam como certa a vitória, goleadas acachapantes. Mas sem as gozações. O foco está no fato de a midia não contar tais mazelas do time no passado, principalmente as que ocorreram nos anos 80, blindando ainda mais o cego e alienado torcedor, que se tornará um mulambo se resolver acreditar na FlaPress sem pestanejar.

Tentando atrair o torcedor anti-flamengo, o AQIPOSSA sabe que na busca no Google, os termos “mulambo”, “flamerda”, “flabosta”, flaglobo”, etc, são utilizados. Uma vez dentro do AQIP, o anti-flamengo tem a opção de compreender mais sobre o que é a FlaPress e perceber que o mal é muito maior contra seu time, do que é a favor do Flamengo. Se comportar puramente como ANTI, sem sentido real, é perda de tempo. Farão com o time dele o mesmo que ele faz com o Flamengo.

Posso até diminuir o uso desses termos, mas visando uma mudança ainda maior no blog, que futuramente vai se tornar mais abrangente. O intuito da mudança é falar mais sobre o futebol que poucos conhecem, os campeonatos passados que são esquecidos pela FlaPress, principalmente os dos adversários do time dela. É incrível que quando se fala num ano onde outro time venceu algo, sempre vem acompanhado de comentário, citações e entrevistas com alguém lembrando uma polêmica, as vezes inexistentes, ou erros de arbitragem que favoreceram o campeão, ou prejudicaram o vice. 

Quando argumenta que a torcida do Flamengo é fruto da mídia que a mantém, deveria levar em consideração o contexto histórico em que vivemos, de difusão das tecnologias, da globalização e dos fluxos. TODO TIME daqui em diante vai aproveitar desses recursos e da mídia pra se promover. O Corinthians, por exemplo, é o time da moda. Particularmente não tenho simpatia pelo clube, mas compreendo que isso é mais que normal. 

Nesse ponto, discordamos um pouco. Primeiro porque, não só a torcida é fruto da mídia, como também o próprio clube. Esse Flamengo que a mídia apresenta não existe. É um culto ao time super exposto dos anos 80. Um time que já nesse período, contava com apoio das entidades para vencer, sob ordem e domínio dos militares e protegido e maquiado pela Globo. Era o início da FlaPress, ou como dizia João Saldanha, a Fla-Imprensa. (Vejam aqui)

O ponto em que mais discordamos é que essas proteções, manipulações, mentiras e afins, vindo da FlaPress, NÃO é devido ao contexto histórico de agora. Não teve início no momento em que vivemos. É totalmente aceitável o seu ponto de vista se levarmos em consideração apenas o apoio ao Flamengo. A grande diferença entre usar o poder da mídia para vender e atrair mais torcedores flamenguistas, é usá-lo para manipular e denegrir os rivais. Não há a menor necessidade de falar bem apenas de um e mal do resto. Não há explicação para que se use apenas um time como base nas matérias jornalísticas esportivas. Não há critério que explique o motivo de se tratar um time “que não é, como se fosse”. Não existe HEXA, não existe MUNDIAL, não existe ZICO melhor do Brasil, não existe seriedade do Flamengo de hoje. Alias, nem de hoje, nem de há 50 anos atrás.

O que o anônimo amigo está vendo acontecer com o Corínthians, é simplesmente o que muitos não conseguiram ver acontecer com o Flamengo no início dos anos 70, culminando com a super exposição no início dos anos 80, guardada as devidas proporções, claro, com os meios de comunicação existentes nas épocas em questão. No caso do Flamengo, o que mais favoreceu a FlaPress foi justamente que a Internet não existia! Apenas o papel e as ondas do rádio eram suficientes para manipular da melhor forma. Enquanto a TV atingia de forma mais eficaz, o jornal era a menina dos olhos da Globo.

Os jornais mais antigos, que falavam a realidade do futebol, não existiam mais. Já haviam sido usados para embrulhar qualquer coisa, para forração de gaiola, cobrir defunto na rua, entre outras coisas, ou simplesmente jogados fora. Mas os da mentira rubro negra, eram atuais. Era o que se ficava exposto nas bancas, era o que se levava para casa, para o trabalho, para mostrar aos amigos adversários... Mesmo que o fim destes, fosse o mesmo dos jornais mais antigos, a mentira não pararia de ser contada, e dia após dia, apenas o lado bom do Flamerda e o lado ruim dos adversários seriam expostos. Era a mina de ouro. Hoje, isso não seria possível. A Internet é a arma para quem quer combater a mentira. É a fonte para quem quer descobrir a verdade longe do poderio das grandes mídias. É a independência do pensamento. Por isso, você, ilustre amigo, e muitos milhares de outros torcedores, já percebem o que fazem com o Corínthians. 

Fases passam... Seguindo a lógica de que Flamenguista é produto da mídia, futuras gerações não poderão escolher o Flamengo, simplesmente porque a imprensa (que no Brasil é péssima) está sempre de olho no clube. Tudo é questão de torcer sem perder a racionalidade, ou você acha que tudo que vem do Flamengo eu aprovo? 

Há um erro nisso. Talvez de percepção. Ou da falta dela. A lógica é um problema: Se algo é ruim, mas fala bem de X, então X seria ruim. Então há um paradoxo. Um jornal de quinta categoria não poderia fazer propagandas em suas páginas, pois nenhum anunciante iria querer ver sua marca envolvida com algo ruim. A função da FlaPress é ser uma mídia independente da mídia comum, e esta, também ruim e péssima. A FlaPress filtra o lado ruim, e desse modo, não tem torcedor que verá um flamengo ruim, comum, ou simples demais na FlaPress. Ele sempre verá o melhor de seu time, mesmo que isso seja uma invenção, ou distorção da realidade.

É justamente por ser a imprensa, de péssima qualidade, que se está fazendo aflorar nos torcedores esse sentimento de não querer mais ser enganado. E o AQIPOSSA está aqui para organizar as idéias, que antes pareciam aos leitores que “aportavam” por aqui, mais como um sentimento de “só eu que penso assim?” ou “será que estou ficando doido?”.

A racionalidade é algo perdido entre os tais considerados aqui como mulambos. A mídia maldita já extraiu cirurgicamente isso da personalidade do indivíduo afetado por ela. E até mesmo nem se esforça muito para conseguir isso, se aproveitando da própria personalidade deles, pois o que mais agrada a um torcedor é a conveniência. Se é conveniente acreditar que um amistoso falido vale um mundial em Tóquio, então esse será um mundial eternamente. Se caso o Vasco, Botafogo ou Fluminense também tivessem conquistado um desses, a conveniência seria posta de lado e o caso seria analisado. Mas como sabemos, essa competição acabou e não haverá mais possibilidades de outro clube do Rio de vencê-la. 

Vivemos em um sistema de produção capitalista em que tudo é mercadoria, o futebol não escapa a essa lógica do capital. Sugiro que leia esse artigo aqui pra entender um pouco disso: 

Os grandes eventos esportivos e a destruição da vida 

Sim, torcedor virou consumidor e a mídia é a grande vitrine. No Futebol, o futebol já não é o mesmo. O futebol não é mais futebol. O futebol esporte é gostoso, saudável, uma diversão, um encontro com os amigos. O futebol competição é maléfico, é alienante, é prejudicial ao bem estar do torcedor. Antes não era. A competição servia unica e exclusivamente para se saber quem era o melhor. Hoje, a mídia disse um “FODA-SE” tremendo para o torcedor. O texto do link acima, indicado pelo torcedor, motivo desta conversa, é interessante e vale a pena. Mas não diz como manipula. Apenas que manipula. Os abusos dos governos protegidos pelo apoio geral da mídia em fazê-los “certinhos e aceitáveis”, são muito mais claros agora que antes. Infelizmente quem permitiu isso foram os acomodados e satisfeitos torcedores. O Pão e Circo da politicagem moderna. No futebol dos clubes também.  As migalhas da transmissão televisiva sustenta de modo suficiente, os dirigentes, mas não os clubes. A culpa? Novamente do torcedor, que permitiu uma imagem negativa ano após ano de seu time em detrimento do time favorecido de sempre.

É importante salientar, que cada torcedor acredita que a mídia o odeia, mas apóia o Flamengo, como sempre. No dia que ele perceber que a mídia ama o Flamengo e odeia todos os outros, e não somente o time dele, então teremos dado um passo fundamental. E isso nada tem a ver com o fato de existir flamenguista que aprova ou não tudo que venha do clube da Gávea, pois é totalmente nítido o apoio incondicional, por vezes, infantil, da imprensa para com o time do Flamerda.

Das percepções do errado com a mídia no futebol e na Copa, podemos ressaltar que o AQIPOSSA existe, e o Grupo Copa 2014 - Foda-se também. Ambos demonstrando que nada passou despercebido.

Acredito que alienação seja muito mais que vestir uma simples camisa de um clube de futebol. Talvez, quando damos audiência exacerbada a jogadores de futebol, (sejam do Fla ou de qualquer time) somos coniventes com o fato de que jogador de futebol ganha 1 milhão por mês e professor (sou professor de Geografia) enfrenta as piores condições possíveis de trabalho e os piores salários. Tudo é questão de ler, ver, ouvir e questionar.

Mas quem fez o ato de vestir uma simples camisa de futebol ser o combustível para a alienação foi a FlaPress. A Globo colocou futebol na vida das pessoas aos poucos, e hoje, temos isso desde a Ana Maria Braga de manhã, até o Jornal da Globo ao fim da noite. O futebol está tão presente na vida das pessoas, que não há emissora que não fale dele na TV. Os campeonatos são comentados em todas as mídias. A alienação está no excesso de um time só e não do ato de vestir uma camisa e acompanhar seu time do coração.

O AQIPOSSA trata da mídia que expõe o Flamengo como o “máximo do futebol”. E isso não por causa de raiva do time da Gávea, ou como dizem alguns mulambos, por “inveja do mengão”, e essa é mais uma diferença entre o torcedor alienado, e nosso ilustre flamenguista. O AQIPOSSA não faz o mesmo com os demais torcedores, porque o que se tem deles, é fanatismo esporádico. Essa audiência que se dá aos jogadores é devido a fama que conquistam, ou pela fama que os impõe os empresários para que se lucre com as suas vendas, ou seja lá com o que for, mas uma coisa é certa, para a FlaPress, qualquer novo jogador do Flamengo é sempre uma nova promessa, um novo Zico. O fato é que para um time tão bem falado pela mídia, são muito poucos os craques realmente verdadeiros que passaram pela Gávea.

Entre ler, ver, ouvir e questionar, a FlaPress já dominou as três primeiras, impondo o que ela que se leia, se veja e se ouça, porém, evitam a todo tempo e de toda maneira, que o torcedor seja levado a questionar.

Não sou Flamenguista por obrigação, concordo que a mídia teve e tem peso importante na formação de opiniões, quem nega isso aí sim, deve ser chamado de alienado. Mas veja bem: Agremiações como Flamengo, Vasco, Botafogo, Fluminense, etc, são originárias de um período anterior a todo esse fluxo de informações. Bem anterior ao futebol se tornar a podridão que é hoje. Digo inclusive que sem o futebol carioca o futebol Brasileiro não teria se desenvolvido.

Então, onde está o erro do AQIPOSSA? Os times são praticamente da mesma época. Porque somente UM time aparece em excesso na mídia? Porque não se fala, por exemplo, dos títulos, que na época eram considerados como de nível mundial, do Vasco, do Fluminense e do Botafogo? À partir de 1952 até o fim dos anos 60, estes 3 clubes conquistaram títulos que foram chamados de “Mundial” pelos jornais da época. Tanto que Palmeiras, vencedor da primeira Taça Rio em 1951, fez seu pedido à FIFA para que fosse aceito como mundial de clubes. A FIFA aceitou, mas voltou atrás após tantos outros clubes no Brasil terem criado coragem e feito o mesmo pedido. A FIFA agiu corretamente, na opinião do AQIPOSSA.

O Flamengo foi simplesmente o último time do Rio a conquistar um desses títulos, e de modo muito frágil, por ter sido em uma partida única, mas o que o torcedor mais repete aos amigos torcedores de times rivais, é que o Flamengo é o único do Rio a ser campeão mundial. A FlaPress sabe a verdade, mas para comemorar esse título conquistado no Japão em 1981 no amistoso entre Flamerda e Liverpool, lançou DVD e campanha pré-venda na TV. O dia? 13 de Dezembro. Nesse mesmo dia, o São Paulo conquistava o mesmo título mais de uma década depois. O SPFC venceu este mesmo amistoso duas vezes seguidas. Vamos ver se a Globo lança um DVD comemorativo quando ele completar ao menos 100 anos.

Não se trata da idade do clube. Isso nada tem a ver com a manipulação da informação, que seria até aceitável, caso se fizesse isso com o time em evidência do ano em questão. A cada fase, mudaria o time em foco. Seria o aproveitamento baseado no sensacionalismo, mas o que a FlaPress faz é absurdo. São movidos pela mentira, que, ou melhora a imagem do Flamengo, ou piora a imagem dos adversários.

Tu parece inteligente, busca argumentos para defender o que acredita, mas quando apela para ofensas já perde um pouco a razão. Obs: Descobri esse blog por acaso. inicialmente o conteúdo não seria atrativo. Mas justamente por não viver no "mundo do faz de conta" que você cita, procurei conhecer um pouco mais. Vim aqui trocar idéias, não entro no mérito dos clubes. Espero que a resposta contenha a mesma educação desse comentário...

Positivo. Sempre buscaremos os argumentos certos para não só defender, mas também para divulgar o que conhecemos. Dizer que acreditamos em algo, é na verdade, pôr algo em dúvida. A palavra “acreditar” é complicada. Dar crédito é acreditar. Dá-se algo a quem não tem. Dá-se crédito quando não se sabe a verdade, pois se soubermos, a certeza vem junto. O AQIPOSSA quer mostrar o que sabe, mas para isso, só com argumentos, ou pelo menos, é assim que se fica mais fácil.

Quanto a parte das ofensas, acredito que nesta conversa já tenha ficado explicado a diferença entre ser ofendido e não se sentir ofendido.

Eis a resposta, na mesma educação usada por nosso anônimo flamenguista NÃO MULAMBO, e que, esperamos, para as próximas conversas já tenha passado num cartório e registrado um nome pelo qual possamos chamá-lo.

Um abraço,

AQIPOSSA. 

Divulgue esse artigo


Postada por Aqipossa Informativo. Você pode receber as próximas postagens do Aqipossa assinando gratuitamente nossa NEWSLETTER.

Divulgue esse artigo